domingo, 30 de outubro de 2011

DVD e Ar condicionado

Oi filha!

É com você no meu colo, que conto-te mais uma estória.

Você está chique demais hein, Mi ?

Seu carro agora tem até DVD, pois é nesta sexta-feira adquiri o aparelho que era do seu TioAgo e o final
de semana foi só de sonzera no carro.
Tá certo que a mamãe sempre fala: "Abaixa um pouquinho, Rô", mas quando estamos só nós dois, ah, aí as pedras rolam pra valer.

E foi logo depois do final de semana que ainda no frisson do novo brinquedinho fui, no carro do tio Pedrinho, pra Sumaré, visitar e lançar uma campanha em um cliente.

Como o horário se estendeu, ele não pode ficar e um colega me deixou no metrô na volta.
Chegando no metrô, eu tinha duas opções:

Primeira opção:
Ir para casa direto, chegar antes que você e a mamãe e esperar vocês duas, sozinho, sabe lá, até umas 8 da noite.

Segunda opção:
 Ir para o Tatuapé, a mamãe me pegava com o carro lá e iríamos os 3 juntos pra casa, lá pelas 6 da tarde.

Escolhi a última, afinal eu já estaria no metrô, Barra Funda, linha vermelha, ponto de partida do trem, iria sentado pra chegar no Tatuapé, um tirinho de perto.

Quando o Nelson, este meu colega, atrasado me fala:

"Rodrigo, posso te deixar no metrô Tiradentes?" Quem sabe aqui que o metrô Tiradentes é linha azul?
Eu não sei, ou melhor, sabia.
"Tudo bem, Nelson, sem problemas".

Putz!!!!

Baldeação na estação Sé, as 6 da tarde. Tudo isso pra ver você filha! Rsrsrs.
Eu te amo, mas na verdade só pensava em duas coisas, no ar-condicionado e no DVD do carro.

Enfim, cheguei espremido, amassado e suado no Tatuapé, a mamãe, enrolada no trabalho me permitiu ter tempo de abrir uma cerveja e escolher um DVD novo pra estrear no caminho de volta pra casa.

E não é que você gostou?


Rock´n Roll, bebê.


sábado, 29 de outubro de 2011

Caras e Bocas

Uma imagem, (ou várias), vale mais do que mil palavras....

(para dar um "UP", no blog e na nossa vida)












quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Seu Biso.

Olá Filha!

Escrevo isto para você em um momento muito triste de minha vida e de toda a nossa família, mas eu não poderia deixar de alguma maneira, tentar homenagear e poder lhe contar sobre o meu amado avô.

Nosso Pedrão, o seu biso, partiu.

Garanto que por ter sido um homem bom, um pai bom e um marido amante e amado, está em um lugar bom também, hoje ele está ao lado do Mestre, em uma nuvenzinha bem parecida com aquela em que você morava antes de descer para a sua segunda casinha aqui com o papai e a mamãe.

Fica a saudade.

Penso que eu poderia até ter convivido mais ainda do que convivi com um homem igual ao seu bisavô.

Fica a alegria.

Alegria de ter lhe apresentado a ele, ter colocado você em seu colo no meu primeiro dia dos pais - por ironia, o último dele aqui embaixo conosco - e dele brincando com você e como falava para a bisa o quanto você é linda e quanto ele adorou ter lhe conhecido.

Você não apanhou (no bom sentido, pois o Pedrão era um gozador filha) de bengala dele como eu apanhei nas vezes que bagunçava a mesa ao lado dele no almoço, era engraçado demais.

Você não o viu, em todo o natal, escrevendo sem ninguém ver (ou melhor, todos viam, mas ninguém falava) um nome qualquer em um papelzinho e fingindo engolir, como em desenhos animados e nem viu o Pedrão tentando agarrar e beijar a bisa a força e ela, toda envergonhada, se esquivando dele!

Para o corintiano Pedrão, todos os jogos que o nosso São Paulo ganhava eram roubados, filha. Ele odiava o Rogério Ceni, mas foi com ele e com seu avô que assisti o nosso São Paulo ser campeão da Libertadores de 1992.
Mas o amor dele era mesmo o Corinthians, como ele amava este time!
Lembro em um aniversário dele em que comprei uma camisa do Corinthians de presente e na mesma loja, comprei uma do São Paulo para mim, mandei embrulhar as duas, filha. E na hora do presente, lhe dei a do São Paulo, nossa, como ele ficou bravo, jogou minha camisa no lixo e por pouco não fico com uma camisa novinha, rasgada.

Foi com o seu bisavô que andei de metrô pela primeira vez, aliás, todo final de semana.
Ele e a bisa moravam na rua do recém inaugurado metrô Belém, e antes do almoço de domingo, enquanto ela fazia a macarronada eu e o Pedrão tínhamos compromisso: Andar de metrô.
Ele adorava me ouvir falando Pedro “um”, era como eu lia o nome da estação quando chegávamos na estação D. Pedro I.

Lembro de meu primeiro carro, um escortinho, velhinho, que me deixava na mão quase sempre, e só não quebrava quando estava no mecânico, mas era meu, e nele, eu parecia dirigir um BMW, tinha rodas de XR3, um Pioneer que muito carro zero de pelego não tinha, e o meu carona que ia a todas as lojas comigo, (corajoso hein?) era o Pedrão!

Vejo, como se fosse hoje, a cara de reprovação dele quando viu as palhetas cromadas que coloquei no carro, ele disse:
“Foi colocar esta porcaria que não limpa nada, não sei pra que inventar...”

Este era o seu bisavô, filha, um bom filho, um trabalhador incansável, um professor e um desenhista excelente e um Vovô de mão cheia!

Sei que não termina aqui, sei que logo mais estaremos juntos de novo.

DEUS o abençoe em sua nova casa, meu avô.

Saudades,

Seu neto.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Dia das Crianças e bora Bahêa!

É filha, viu quanta coisa?

É pra compensar o tempo que estou sem escrever pra você.

Semana passada fomos ao shopping Center, seu debute, com o canguru que a mamãe comprou, me senti a pessoa mais feliz do mundo ao passear abraçado com você e todos olhando, apreciando aquilo que eu já sei, a minha riqueza mais linda do mundo.

Fomos lá para escolher um presente de dia das crianças para sua prima, mas só pra ela, pasmem, você acabou ficando sem, tá certo que a mamãe te comprou um mordedor do Backyardigan´s, mas saí da loja com a sensação de “pôxa, primeiro dia das crianças da minha filha e não comprei nada legal pra ela...”.


As princesas com os presentes
 E foi exatamente neste dia das crianças que fui, a trabalho, para um evento em Salvador e na bagagem, além de muita saudade e tristeza de deixar minhas duas pequenas (calma pessoal, ainda não é a irmãzinha da Mi, é assim que chamo minhas amadas, a Mi e a Dri, minhas pequenas), a convicção de, “tenho que trazer um presente “importado” da Bahia pra Millena.”

Taí filha, algodão cru, um trabalho artesanal sensacional que só tem lá e no Rio de Janeiro, chique não?

Feliz 1º dia das crianças atrasado!

Ah, assim que tiver a oportunidade, posto a foto do vestido cheio de Millena!

domingo, 9 de outubro de 2011

Passou tão rápido.

É, minha filha dia 14/10, você completa cinco meses de vida...meu Deus como passou rápido! Tão rápido que volto ao trabalho dia 10, é isso mesmo, segunda-feira.

Escrevo para você na nossa última sexta-feira juntas o dia todo, pois teremos muitas outras, só que agora nos veremos depois do trabalho da mamãe. Confesso que escrevo isso com muitas lágrimas nos olhos, pois meu coração está tão apertado que não sei explicar, fico feliz por rever os amigos e por trabalhar fazendo o que realmente gosto, mas você é tão pequenina, indefesa, meiga, alegre e minha companheira.

Você transformou nossas vidas, antes éramos o papai e eu, mas agora para nós sempre será VOCÊ em primeiro lugar. Claro que o papai e a mamãe pensam e cuidam demais um do outro, mas você é o centro das atenções. Falando nisso...a mamãe ficou super preocupada com o papai, foi segunda-feira de madrugada, ele começou sentindo muito frio, até tremia, medi a temperatura e ele estava mesmo com febre e depois vieram as dores no corpo, e mesmo tomando remédio a febre não baixava.

Como ele continuava ruim, ligamos para sua vovó Cecília, que veio nem sei em que velocidade com a baratinha dela, é assim que ela chama o carro que você e a Gabi, sua prima, vão aprender a dirigir, legal né? Bem voltando às dores do papai, eu realmente fiquei preocupada, pois além da febre e as dores no corpo, ele ficou branco, parecia que não tinha uma gota de sangue no corpo. A vovó levou o papai para o hospital enquanto você dormia, e eu não conseguia pregar os olhos, pois o médico que examinou seu pai desconfiou de pneumonia, imagina como a mamãe ficou, mas graças a Deus ele estava errado, era só uma gripe muito, muito forte. Depois de tomar muitos remédios o papai melhorou e voltou para casa, ufa que madrugada!!!!

Bem, vou parar de escrever para dar de mamar para você e te curtir o máximo que eu puder, enquanto segunda-feira não chega. Ainda bem que teremos o sábado e domingo inteirinhos só para nós duas.



Beijos de saudades!!!

Te amo filha.

São Escolhas

Passeando de carro com a Millena, esses dias, ela olha para os caros do lado e me pergunta: "Papai, esses carros que não tem banco at...