domingo, 28 de abril de 2013

Esquece Tudo!

Filho.

Lembra aquele medo tolo, tolo mesmo, em imaginar que um pai - ou uma mãe - não tivesse como amar com a mesma intensidade um filho ou outro?

O medo do papai não conseguir repetir a mesma escala de amor que tem na Millena, com você?

Boll Shitt. Você nasceu hoje, 27 de Abril de 2013, eram quase 10 horas da manhã.

Trazendo alegrias e felicidades dobradas para todos nós!

O papai não dormiu na madrugada anterior, vivendo a expectativa de sua chegada, na sala de parto, ou melhor, antes de entrar lá, andava em zig-zag, sentava, levantava, era uma inquietação que não tive nem da primeira vez que estive ali.

Deus sabe de tudo, mas a princípio, para o resto da vida, será você e sua irmã apenas, mas eu poderia ter 10 filhos, garanto, o amor seria igual e intenso, para os dez, da mesma maneira.

Não tenho muitas palavras, ainda mais hoje - ainda anestesiado pela sua chegada - para lhe explicar, Filipe, mas digo uma coisa:

É IMPOSSÍVEL NÃO SE APAIXONAR POR UM MENINO COMO VOCÊ.



Obrigado de novo, por me escolher e por dobrar a minha alegria de viver, filho!

Farei o impossível, com todas as minhas forças para retribuir este seu voto de confiança, durante toda a minha vida!

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Ansiedade.

Quem, eu?

Pois é filhão, bem que falam: “Uma gravidez não é igual a outra”.

Não é mesmo, a primeira, é tudo novo, as expectativas são outras, não melhores, muito menos, piores, apenas são outras.

Já lhe disse que a notícia da gravidez da mamãe chegara em um momento novo para nós 3 (até então 3), e até por conta disso cito este lance das expectativas, a minha responsabilidade no trabalho muito maior, e porque não dizer que em casa também, um nível de preocupação com tudo que cerca, tanto aqui, quanto lá, muito maior, talvez me impedia de viver 100% a gravidez da mamãe, e olha que fui em todos (não, não fui no último) os ultrassons que você fez, e na reta final, pelo menos nas 4 últimas consultas do Dr. Dalton, eu estava lá.

Pouco, para um pai tão presente quanto eu fui, sou, serei...

Mas agora o negócio é outro cara! Nossa que sensação bacana escrever isso, cara!

Quando lhe escrevia isto, estávamos há exatos 4 dias da sua chegada, hoje já são 3, 3 dias do papai distribuir charutos na maternidade com a camisa do nosso tricolor...

Eram 4 dias, que pareciam ser 40, hoje, são 3, que mais parecem 30. Os dias não passam, a concentração não é mais a mesma, o pensamento é só em você, na sua carinha, em chegar e sair logo daquela maternindade, com você no colo, levá-lo pra casa!

Enfim, de sair gritando por aí:
“Meu filhão, chegou!!!!!”

Me emociono de pensar em viver mais uma experiência inédita e cheia de emoção como
esta e agradeço em saber que você, Filipe, está me proporcionando isto.

Te amo, cara!

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Tempo

É, faz tempo que estou sem escrever para vocês dois. Sem tempo, na verdade, de escrever para vocês.

Nestes dias sem texto muita coisa boa aconteceu pro papai, foram dias de realizações bacanas, de muito trabalho e reconhecimento.

Dias em que, durante as várias noites sem sono, por ansiedade, pensei em coisas super legais de escrever aqui, mas não anotei nada, uma pena, não lembro do texto...

Uma vez, me falaram que filho nunca vem pra atrapalhar, nunca pensei assim mesmo, mas lembro do contrário, de quanta coisa bacana aconteceu quando você, Millena, nasceu.

Agora, é sua vez Fillipe, hoje faltam apenas 15 dias para você sair do barrigão da mamãe e a sorte e as coisas boas, já aconteceram.

Obrigado a vocês dois, por me escolherem como pai e  trazerem só coisas boas para minha vida.

Papai sortudo.

Vai ter textão, sim!

Olhar suas fotos pequenina em nosso colo, com aquele rostinho, não menos puro que o de agora, mas com traços de bebê, contrastam demais com...