sábado, 28 de maio de 2011

O Capítulo Final.

Calma, Mi.


Não vou parar de escrever não, lembra do que você leu há alguns capítulos atrás? Um livro pra toda vida? Então, será.


Mas tudo o que comecei a escrever para você em dezembro de 2010, eu colocarei agora em um livro (este que você lê agora) e tudo em sua ordem, com a cronologia dos fatos e tal e coisa. Mesmo que ainda com poucos exemplares, que darei de presente, para os vovôs e vovós, para os Bisos e alguns amigos próximos, que desde o início acompanharam tudo o que coloquei aqui e sei que terão paciência de ler tuuuudo de novo.


Pois é, foram 9 meses de expectativas e uma revolução de sentimentos, tentei aqui contar um pouco do que foi esta aventura que nós três, vivemos. Sim, minha, da mamãe e principalmente a sua, minha lindona!
Um presente de Deus para as nossas vidas!


Como falei acima, este capítulo encerra a história dos seus primeiros 9 meses de vida, sim, vida que senti de verdade existir quando ouvi seu coração batendo pela primeira vez naquele exame de ultrasom.
E que período fantástico! A partir de amanhã, já começaria contar os nossos novos dias com você morando na sua segunda casinha, pois a primeira foi o barrigão da Mamãe!


Até lá!

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Um amor maior que o mundo.

Que coisa maluca, sou pai.

A mamãe entrava ao centro obstétrico da marternidade para os primeiros atendimentos pré-parto, parto que eu iria assistir (imagina, Mi, esperei 9 meses este dia, não perderia ver seu rosto pela primeia vez e ser o primeiro a ouvir seu choro, por nada na vida), eram apenas 8e30h da manhã de sábado, e olha que você iria chegar só por volta das 14h00, hein?

Estávamos lá então, eu e suas duas avós, a certinha (vovónete) e a doidona (vovó Cessi). Pegando o elevador pra procurar um lugar para tomar café da manhã, quem encontramos? O tio Fafau, o pai da sua amiguinha Luiza, outra princesinha,  parafraseando o que ele me disse há alguns dias, você e a Luiza nasceram vizinhas de quarto e de alma, espero que você e a Luiza tenham uma amizade assim como a minha com o pai dela.

Falando no tio Fafau, eu estava exatamente visitando a Luiza quando a vovó Cecília me ligou dizendo que estavam me chamando no C.O. Isso porque eram apenas 11h30, gelei, passou um filme na minha cabeça, sai correndo pelas escadas de emergência até o 2º andar, eu estava no 4º, quando cheguei lá, a sua vovó Cecília, (a vovò doidona), já estava na recepção do C.O. para saber o que estava acontecendo também. Mas ufa, era apenas pra fazer companhia para a mamãe na sala de medicação, porque ela estava sozinha e se preparando para a sua chegada.
Depois do susto, foi legal, pois o Papai pode ficar juntinho da Mamãe até a hora do seu nascimento!

E o tempo ia passando, demoradamente, mas passava e quanto mais se aproximava a hora, menos eu sabia como eu me sentia, era um misto de tensão com uma imensa alegria, mas ainda hoje, 10 dias depois, não sei explicar ao certo o que e como eu me sentia. Quando a enfermeira me chamou para ir me trocar e levou a Mamãe para a sala de parto, aí sim, o "bicho pegou", me troquei, e no vestiário, acabei encontrando os dois médicos que fizeram o seu parto, conversamos um pouco lá, demos umas risadas, o que deu uma "quebrada no gelo". depois fui encontrar a Mamãe lá e fiquei estático, rezando para Nsa. Senhora das Graças e para o Dr. Bezerra de Menezes (aliás, acho que ninguém pediu tanto pra eles durante estes 9 meses, e que gravidez abençoada a da Mamãe, Mi, mas vai ter um post só sobre isso mais pra frente, depois de 6 de junho, tenho uma surpresa que já fiz metade e até lá termino, aí conto detalhes, tá?).
Mas então, voltando a sala de parto e às minhas orações, eu só pensava em você, na Mamãe, na cirurgia...eu estava forte, na verdade, sou forte! Mas Mi, quando vi você saindo do barrigão da Mamãe, vi seu rostinho pela primeira vez, ouvi seu choro, nossa, não senti sensação melhor no mundo até hoje...então não contive as lágrimas, afinal era você, minha Millena, a coisa mais linda que já vi na minha vida, como é até hoje, quando você lê este texto.

Mas foram segundos apensa com você lá com a gente, levaram você embora, era necessário os primeiros atendimentos, que é feito à qualquer RN, eu fiquei lá com a Mamãe, não quis sair da sala até eu saber que ela também estava bem, também. Após isso, sim, enquanto vocês duas ficavam na sala de observação se preparando para voltar ao quarto, eu saí, fui encontrar a suas vovós e seus vovôs, seus tios, nossos amigos, mas o Papai não conseguia mais falar, só chorar, que alegria, acho que toda a tensão e a expectativa desta hora, que vivi durante a gravidez da Mamãe, eu tirei ali, nas minhas lágrimas, eu só me lembro de ter chorado assim, uns nove meses atrás, quando ouvi seu coraçãozinho pela 1ª vez e mesmo assim, nada parecido como este 14 de maio de 2011.

É uma sensação difícil de entender, de explicar, ainda mais em palavras Mi, uma coisa maluca mesmo, agora entendo tudo o que sua avó faz pra mim, este protecionismo que às vezes até irrita, é amor, você vai ser mãe também, e quando for saberá e entenerá isso.

Eu li que o nascimento de um filho, é um renascimento para os Pais, e é fato, no exato momento em que lhe vi, uma chavinha no meu peito "virou" e vem a minha cabeça a imagem daquele corredor de saída da sala de parto, eu caminhando sozinho em direção a uma porta automática, de vidro, naqueles poucos segundos passou um filme na minha cabeça e daquela porta pra fora, saia uma nova pessoa, renovada, renascida, com novos pensamentos e objetivos na vida, pois aquele era o maior dia da vida dele, o dia em que aquele homem ganhou um amor maior que o mundo, você!

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Apresentando...

Esta á dona do blog. A dona dos meus dias a partir de agora, ops, desde 14 de maio, de 2011, por volta das 14h55.
Amo você, muito mais do que eu imaginava que lhe amaria enquanto você estava no barrigão da mamãe.


segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Chá e a Toca.

Minha Millena!

Lembra que eu te falei que iria colocar algumas fotos e lhe falar como havia sido a primeira festa que fizemos para você? O seu chá de fraldas, lá vai!
Na verdade, escrevo bem depois, aliás, quase um mês depois da festa, posto, quase dois meses depois, mas a correria e o computador velho do Papai servem como uma boa desculpa pela demora, não é mesmo?

Foi muito bom! Desde a confecção dos convites, (lembra que a Bibi ajudou?), até decorar o salão e fazer, mais uma vez, tudo só para você, nossa, não tem coisa melhor,
não é a toa, que a vovó fala, tudo que faço hoje, não tem a mesma intensidade, o mesmo "peso" se não é pra você, que loco isso né?

O carinho de nossos amigos, de nossa família, tudo foi genial. Genial também, a participação de todos os nossos queridos amigos,que se envolveram com a doação de alimentos que o Papai e a Mamãe pediram, para que fossem doados à Toca de Assis, é uma casa que independente da religião, acolhe e respeita as pessoas, que necessitam de casa e comida, olha só a quantidade de alimentos que arrecadamos:
Eu a e mamãe levamos os alimentos lá e a Mamãe, que nunca havia entrado lá, foi comigo e levou você no barrigão até a capelinha, onde rezamos e agradecemos ao Papai do Céu por você estar lá conosco, bom, nem preciso falar que chorei de novo, aliás, todas as vezes que vou lá rezar por você, choro, como quase estou agora enquanto escrevo...

Em nome da Millena, que ainda nem está do lado de fora do barrigão, mas que já está aprendendo a ajudar ao próximo, não pela sua cor, nem pela sua religião, mas sim por ajudar quem precisa, nosso muito obrigado!!!!

Deus abençoe a todos!

Papai, porque o São Paulo só Perde?

Como já deu pra notar aqui no blog, sou um São Paulino fervoroso, desde muito antes de me meter nessa de ser escritor amador. Mas nessas o...