sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Tô aqui Mamãe

Bebezão, eu vou lembrando, eu vou escrevendo, prometo que depois que você nascer eu vou organizar todos os capítulos para você ler na ordem em que tudo realmente aconteceu, mas por enquanto, vou deixando assim, até aqui no blog é mais light para quem está lendo...

Lembra que eu falei que a sua avo Cecília é meio bruxinha não é mesmo, então, um dia nós estávamos conversando no telefone aqui em casa, quando na hora de desligar (eu já até havia dito tchau, beijo, estas coisas...) ela virou e me disse assim:

“Ó bichão, finca o pé aí hein, que você vai ser Pai! O meu neto mandou avisar a mãe dele que ele ta chagando”.Nossa, nem sei como reagi, lembro que quando ela disse “mandou avisar a mãe dele” falei:

“Peraí então, que você mesmo a avisa” e foi só emoção àquela hora Bebezão, não deu outra, um mês e meio depois, a notícia que você já estava no barrigão da mamãe.

Mas antes dos exames que o Papai e a Mamãe fizeram para saber se você já estava no barrigão, a mamãe já estava com a menstruação atrasada (prefiro te explicar depois, pessoalmente o que é isso, ta bom?). Posso te adiantar que você, independente de ser um meninão ou uma meninona, você vai conviver com isso pra sempre, sejam com as suas ou com as TPM´s de sua esposa (brincadeirinha Dri), mas voltando ao assunto:

A mamãe sempre foi certinha com estas datas, e ela já estava com três dias de atraso, como nós já estávamos pensando em ter você aqui com a gente, nós ficamos pensando que realmente poderia ser você, então ela quis comprar um exame de farmácia e fazer o teste. Achei melhor não comprarmos e aguardar as coisas acontecerem... fui jogar bola - Com o pessoal da rua, estes malucos que adoram você também, o Tio Ju, o Tio Lucas, o Hugo, pai do Rodrigo (não fala nada para ninguém, mas ele deu este nome pra ele em homenagem ao Papai...rsrsrs) o tio Rochinha, que não jogava, o preguiçoso...rsrs, ele só vai lá cornetar o jogo e levar o Matheuzinho para ver o futebol – A mamãe ficou em casa, fazendo o cabelo, e de repente cansou e foi deitar um pouco, sem ainda estar dormindo, ficou pensando em você, alisando o barrigão, que na época, ainda era uma barriguinha normal, como sempre foi a dela, e perguntando pra si mesma: “Aí meu Deus, será que realmente estou grávida, que ansiedade..."
E de repente, uma “vozinha” fala pra ela:

“Calma, já estou aqui”.

Adivinha quem era?

É...este é mais um exemplo desta maravilhosa ligação entre o filho e a sua mãe, não é mesmo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não é conta de mentiroso

Filha! Quando comecei a escrever este blog, há pouco mais de 7 anos, eu imaginava você, imaginava seu nome, imaginava como seriam os m...