sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Um Livro Pra Vida Toda

Fazia tempo que eu não escrevia, preciso de alguns estalos, hoje logo após o almoço, tive um destes, então, comecei.

Foi na segunda-feira, dia 14 de fevereiro, me emocionei ao ouvir, depois refletir e falar para a Mamãe, Millena, pois estávamos conversando sobre o seu blog (ainda é um blog), dos elogios que recebemos de nossos amigos, de nossa família, das assessoras de imprensa que trabalham com o Papai (afinal de contas eu precisava passar isso por um crivo jornalístico, né?) e percebi que a missão deste livro, pois vai virar um livro, não terminará quando eu imaginei que terminaria, pois eu iniciei este projeto imaginando em parar de escrever para você quando você aprendesse a ler, afinal, a partir dalí, você já presenciaria estes sentimentos, estas emoções,mas não, lógico que deixarei você ler antes, eu não pendurarei as chuteiras, eu continuarei escrevendo para você.

Por várias razões.

Entendo que a maneira que você receberá todas estas emoções que eu e a Mamãe tentamos lhe passar aqui, através de palavras lhe dará uma sensação diferente, a medida que você for crescendo.
Você as receberá e as entenderá de maneiras distintas, em cada época de sua vida!

Sim, lógico que com 3, 4 aninhos, quando você já tiver aprendido a ler suas primeiras frases e com o que nós contamos para você, serão legal de ler.
Mas sei que será bem legal você ler também quando tiver suas primeiras experiências de vida, seja quando estiver indo para uma escola diferente ou estiver virando uma adolescente, talvez no dia em que você prestar vestibular e entrar na Universidade ou tiver seu primeiro namorado (nossa, não acredito que estou escrevendo isto), quem sabe, poderá ser útil no dia do seu casamento, ou quando você descobrir que eu e a Mamãe nos tornaremos avós.

Acho que já começo a fazer meu papel de Pai, lhe escrevendo estas coisas, pois você verá que muitas vezes se tornará mais fácil escrever para demonstrarmos o que sentimos, o que desejamos, pode ser mais completo, mais detalhista, do que simplesmente falar, o vento leva as palavras (o blog pode dar pau, por isso ando fazendo uns back-ups dos posts, todos impressos em Word, rsrsrsrs).

Por isso, minha princesa, eu não vou parar nunca de escrever para você, até eu ficar bem velhinho, vou continuar fazendo meu papel de Pai, tentando, não só através de palavras e sentimentos, pois nunca vou estar ausente, mas registrando a minha missão de vida, para você.

Sempre.

Um comentário:

  1. Edith, Lucas e Guilherme19 de fevereiro de 2011 00:07

    Sempre fofos, sempre lindo o que escrevem e sempre nos emocionando!!!

    Beijos,
    Edith, Lucas e Guilherme :)

    ResponderExcluir

Não é conta de mentiroso

Filha! Quando comecei a escrever este blog, há pouco mais de 7 anos, eu imaginava você, imaginava seu nome, imaginava como seriam os m...