terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Insônia

Não me lembro direito o dia, sei que foi uma segunda-feira, ou melhor, uma terça, pois já passava da meia noite quando acordei, pra fazer xixi, isto mesmo, crianças falam xixi, a Millena quando ler vai ler xixi... xixi.

E não dormi mais, putz, que droga! E vira de um lado, vira de outro, calor, frio, e fecha o olho e abre o olho e rezava (minha avó Alaíde – sua outra bisa Mi, que infelizmente você não conheceu, ela sim, aposto que já te conhece e já conhecia você e a Bibi, antes mesmo de você vir morar no barrigão da Mamãe - falava, quando estamos sem sono, sem conseguir dormir, reze um Pai Nosso, que o sono vem), mas desta vez, Vó, nem Pai Nosso, nem Ave Maria, meu sono foi simplesmente pro saco!

Enfim, levantei né? 4 da manhã, plena segunda-feira, ops, terça, e eu lá, acordado, na cozinha, comendo bolacha recheada e tomando o iogurte desnatado da mamãe, mas com muito açúcar, por que aquilo puro é muito ruim!

Depois do lanchinho da madrugada, uma espiadela no movimento pela sacada de casa, contei, havia duas janelas acesas nos outros prédios, ou era algum insone como eu, ou não iam trabalhar, nem fazer nada daqui a pouco né?
Eu não, eu tinha que levar a Mamãe pro trabalho e depois, dar uma bela caminhada até Guarulhos para trabalhar também.

Então resolvi me deitar.

E vi uma cena linda!

A Mamãe estava dormindo só de calcinha, ela e o barrigão todo de fora!
Não agüentei, me deitei ao lado de vocês e comecei a acariciar você, pela barriga da Mamãe, e começamos a conversar (nossa me dá até vontade de chorar ao lembrar), toda vez que eu, só pensava em algo para ate falar, um carinho que eu fazia você chutava a mão do Papai e se mexia, como nunca havia se mexido antes, e a Mamãe lá, dormiiiindo, que sensação maravilhosa, Mi, ficamos lá conversando, brincando, eu tocava o barrigão, você devolvia um chute, um soco, pro Papai, posso até sentir na minha mão ainda.
Fico imaginando as madrugadas que virão, nós três, no meio dos brinquedos, dos desenhos animados, brincando, como esta primeira vez.

Ainda bem que fiquei acordado esta madrugada, viu o presentão que ganhei?

Quem é que queria dormir mesmo?

Um comentário:

Não é conta de mentiroso

Filha! Quando comecei a escrever este blog, há pouco mais de 7 anos, eu imaginava você, imaginava seu nome, imaginava como seriam os m...